Rondônia, 24 de Junho de 2017

Cassol cobra melhorias nas rodovias federais de Rondônia

­Durante reunião na Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado o senador Ivo Cassol fez duras críticas em relação à privatização da rodovia

Os senadores foram informados que um estudo que vai embasar a concessão da BR-364 está sendo feito pela Construtora Sanches Tripoloni e prevê a duplicação escalonada da rodovia.

A rodovia é uma importante rota de escoamento da produção agrícola da região Norte e Centro-Oeste. Quando concluído, o estudo será submetido à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que poderá sugerir a inclusão de novos trechos. Mas a duplicação total da rodovia em um primeiro momento está praticamente descartada pois acarretaria um valor mais elevado a ser cobrado nas futuras praças de pedágio. Foi o que argumentou o secretário de gestão dos programas de transportes do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Luciano de Souza Castro. Segundo ele, “se tratar a duplicação de forma generalizada, os preços de lançamento dos pedágios sobem. Se falarmos em duplicação geral, vai para o leilão com os preços de pedágio lá em cima” — apontou.

O processo de concessão da BR-364, no trecho entre os municípios de Comodoro (MT) e Porto Velho (RO), deverá ser concluído até o final de 2017 e as obras de duplicação iniciadas em 2018, conforme estimativa apresentada pelo Ministério dos Transportes. A orientação que foi dada pelo Ministério dos Transportes na questão da duplicação e das terceiras faixas é que elas sejam propostas conforme a necessidade do tráfego. A ANTT vai fazer a avaliação e ver se o estudo apresentado pela empresa é a melhor configuração.

Cassol deixou claro sua preocupação com a questão da manutenção do asfalto, pois na região Norte a questão das chuvas acaba interferindo na durabilidade do asfalto e na qualidade dos serviços e deixou claro que o Governo Federal tem sido incompetente para fazer a manutenção da rodovia. “A BR-364 tem trechos que precisam ser duplicados urgentemente, não dá para esperar mais. E o serviço feito pelas empresas na rodovia é de péssima qualidade, faz hoje e amanhã está desmanchando, o asfalto quebra inteiro, além da demora da burocracia e da falta de punição às empresas que não executam o que foi contratado. E se privatizar quem vai pagar a conta é o povo de Rondônia, o pedágio vai custar muito caro”, disse Cassol.

O presidente da Comissão de Infraestrutura, senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), assegurou que o colegiado vai acompanhar de perto o andamento do processo de concessão da rodovia e fará novos debates para garantir que as obras de duplicação saiam do papel.

22/08/2016

Comentários (0)

Não há comentários

Comente esta matéria

  • :: Os ítens com asterisco ( * ) são campos de preenchimento obrigatório.
  • :: Os e-mails dos usuários não serão divulgados no site.



© 2009 - Jornal a Tribuna Online
Rua Rio Grande do Norte, 1.745 - Vilhena-RO / Fone: 69 3322-1919 - 8447-1818