Rondônia, 17 de Agosto de 2017

Aprovada  proposta  de Mariana Carvalho que destina 1 bilhão para doenças raras

­Membro da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, a deputada Mariana Carvalho (PSDB – RO) teve uma sugestão de sua autoria aprovada por unanimidade no colegiado que assegura na proposta orçamentária para 2016, investimentos na ordem de 1 bilhão de reais para doenças raras.

“Durante apreciações de emendas à lei orçamentária 2016, aprovamos por unanimidade sugestão de minha autoria que garante politica de atenção integral às pessoas com doenças raras no âmbito do Sistema Único de Saúde” destacou a tucana. “A minha proposta foi incluída na Área de Saúde de Média e Alta Complexidade”, completou.

Segundo a congressista, os recursos serão destinados para tratamento, pesquisa e pessoal para atender portadores de doenças raras, tendo em vista as dificuldades enfrentadas , inclusive para se identificar alguns casos.

“Temos que priorizar essa questão no nosso país, tendo em vista o expressivo número de pessoas que enfrentam uma série de problema por causa das doenças raras”, argumentou Mariana Carvalho que neste ano participou, como mediadora, de conferência na cidade Washington, nos Estados Unidos sobre esse tema.

Ainda na Comissão de Seguridade, foram aprovados dois requerimentos, solicitando informações do ministro da Saúde Marcelo Castro com quem a tucana manteve audiência. O primeiro foi sobre o desenvolvimento do Programa NutriSUS que é a estratégia de fortificação da alimentação infantil com vitaminas e minerais e o outro sobre a falta de equipamentos de radioterapia no país.

Mariana Carvalho, que é médica, está defendendo na Câmara, importantes projetos na área da saúde. No início do mês em homenagem a Campanha Outubro Rosa, ela apresentou projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade de fornecimento de medicamentos pelo SUS para mulheres com câncer de mama metastático.

Outra conquista para o público feminino que teve a participação da deputada foi à aprovação do seu relatório sobre a proposta que susta uma resolução do Ministério da Saúde, limitando o financiamento da mamografia pelo SUS às mulheres entre 50 e 69 anos. 

Graças a sua  relatoria foi retomada a obrigatoriedade já prevista em lei, de o SUS pagar mamografia para todas as mulheres a partir de 40 anos como exame de rotina.

30/10/2015

Comentários (0)

Não há comentários

Comente esta matéria

  • :: Os ítens com asterisco ( * ) são campos de preenchimento obrigatório.
  • :: Os e-mails dos usuários não serão divulgados no site.



© 2009 - Jornal a Tribuna Online
Rua Rio Grande do Norte, 1.745 - Vilhena-RO / Fone: 69 3322-1919 - 8447-1818